segunda-feira, 1 de junho de 2020

Câmara de Alto Longá é acusada de descambar da harmonia para a subserviência ao Poder Executivo

Imagem: Divulgação/Internet/TSE

Em Alto Longá, no Norte do Piauí, o Poder Legislativo Municipal descambou da harmonia para a subserviência ao Poder Executivo Municipal. É incontestável a falta de produtividade de alguns dos sete vereadores que integram a base de apoio e sustentação política ao prefeito Henrique César, o HC (PSD). Ao invés de ter harmonia no bom sentido, ou seja, independência para questionar e fiscalizar os atos dessa atual gestão, os “nobres edis” aceitam todas as decisões administrativas do prefeito mesmo diante das suspeitas de corrupção sem levantar voz em defesa da população. Nesse sentido, o Poder Legislativo parece estar totalmente “agachado” de joelhos ao Poder Executivo, dizendo amém aos atos nefastos de HC. É uma vergonha e traição ao povo de Alto Longá. Dizem alguns observadores que esta atual legislatura eleita de 2016 a 2021 é a pior de todas ao longo dos últimos 50 anos. Em sua grande maioria, são jovens parlamentares descomprometidos com o bem da população mais carente. A bancada do prefeito HC é composta pelos seguintes vereadores na foto acima: Karla da Paz, Rochicha (presidente da Casa), Julão, Lana Sindô, Cícero Branco, Júnior Fofoca e Nenam, estes dois últimos foram eleitos pelo lado contrário. A oposição conta com apenas dois vereadores, são eles: Expedito Moto Peças e Dudu Pacheco. 

Nessa crise sanitária da pandemia do novo coronavírus, como a Câmara Municipal de Alto Longá está sendo acusada de não cumprir fielmente o seu papel de fiscalizar a suposta falta de transparência nos gastos com recursos públicos. Assim, o povo decidiu monitorar com denúncias pelas redes sociais o prefeito Henrique César que está acuado sem prestar contas junto aos órgãos de controle e fiscalização, como, por exemplo, o Poder Legislativo Municipal, o Tribunal de Contas do Estado – TCE, o Ministério Público Federal e Estadual e o Tribunal de Contas da União.

Um simples trabalhador e militante filiado ao Partido dos Trabalhadores – PT, Antônio Barros, vem fazendo o diferencial na fiscalização dos atos do prefeito Henrique César, dando exemplo de honestidade aos vereadores que são remunerados com dinheiro público e não defendem os interesses da sociedade. Por conta das suas atividades e atitudes de cobrança de seriedade ao gestor na condução do governo, ele vem sofrendo intimidações e até já foi convocado a prestar esclarecimentos na 15ª Delegacia de Polícia Civil como se fosse criminoso por fazer críticas à administração municipal. “Na verdade, temos um governo municipal sem projetos, um governo tenso e, além do mais, sem rumo”, disse Antônio Barros ao blogdoademarsousa.com.br.

Liderança comunitária Antônio Barros 
Por sua vez, o suplente de vereador Jajau (PL), considera a Câmara Municipal de Alto Longá fraca sem atuação firme tanto na questão de legislar como na questão de fiscalizar, sendo assim, omissa de maneira vergonhosa. “Para se ter uma ideia dessa fragilidade, a própria população vem fazendo o papel de fiscalizar o prefeito Henrique César. Isso é uma tristeza”, afirma ele.

Segundo Jajau, não há registro de manifestação de nenhum vereador aliado do governo municipal defendendo a sociedade diante do descaso em relação à saúde pública e outras mazelas. “Vamos apostar na renovação na Câmara. O povo é soberano e vai fazer a mudança necessária”, disse otimista o suplente Jajau.

Suplente de vereador Jajau


Nenhum comentário:

Postar um comentário