terça-feira, 20 de outubro de 2020

Internautas querem debate entre os candidatos a prefeito de Alto Longá; Desafio ganha ampla repercussão nas redes sociais

O desafio da própria sociedade para a realização de um debate público transmitido pela internet (live) entre os candidatos a prefeito de Alto Longá (PI), Henrique César (reeleição) pelo PSD e Belauto Bigode (oposição) pelo PT, já ganhou ampla repercussão nas últimas horas em redes sociais, através dos grupos de WhatsApp, assim como nos perfis de Facebook e Instagram. Em resumo, os internautas querem saber as propostas coerentes dos dois candidatos a prefeito para os próximos quatro anos. A ideia desencadeou uma onda de compartilhamentos e comentários sem volta. Ou melhor, quem fugir do debate significa dizer que não está preparado em se tratando de governar Alto Longá.

A coordenação de campanha do candidato a prefeito Belauto Bigode já informou nesta tarde de terça-feira (20), ao blogdoademarsousa.com.br que ele manifestou interesse em participar caso seja concretizado o debate no campo de ideias e propostas de governo. Porém, o blog tentou sem sucesso ouvir partidários do prefeito Henrique César sobre a possibilidade dele confirmar a disposição de participar do debate. Em 2016, Belauto Bigode propôs e desafiou o adversário Henrique César participar de debate, mas ele fugiu da raia.

“A população longaense precisa ver um show de propostas e democracia para escolher o melhor sem sombra de dúvidas”,  disse a professora Euryjanes Esteves, em comentário no post que sugere a realização de debate.

O advogado e professor Eduardo Sindô também escreveu em seu perfil no Facebook levantando a sugestão: “O povo de Alto Longá pede o debate de propostas entre os candidatos. Viva a democracia”. 

 Nesse sentido, são centenas de comentários e compartilhamentos. O bicho vai pegar. “Quem for podre, que se quebre”, diz o ditado popular.

segunda-feira, 19 de outubro de 2020

Ministério Público Eleitoral se manifesta pelo deferimento da candidatura de Schnneyder em Timon

 

Comandante Schnneyder (Republicanos) 

Em petição assinada pelo promotor de Justiça Eleitoral, Tharles Cunha Rodrigues Alves, e endereçada ao juiz da 19ª Zona Eleitoral de Timon, o Ministério Público Eleitoral se manifestou pelo deferimento do pedido de registro de candidatura a prefeito do Comandante Schnneyder em Timon. 

Na petição o promotor Tharles Cunha afirma que "assim é que, após olhar cuidadosamente os documentos acostados no ID 16813088 , entende o Ministério Público Eleitoral que as dúvidas foram devidamente sanadas, de maneira que, quando resta atestado ' "o policial em questão foi afastado, desde o dia 21/09/2020, para fins de agregação, em razão do pedido de registro de candidatura, NOS TERMOS DA Portaria de nº 196-DP/4, de 06/10/2020”, resta demonstrado o cumprimento das exigências legais para a candidatura".

A petição informa ainda que o pedido de registro de candidatura do Comandante Schnneyder foi protocolado com toda a documentação exigida pela Justiça Eleitoral, não restando dúvidas quanto ao cumprimento das condições para o registro. "Observa-se que o pedido está instruído com os documentos exigidos pelo art. 24 da Resolução TSE nº 23.609/2019, não havendo, portanto, óbice ao acolhimento do pedido formulado".

O advogado Bertoldo Rego Neto, da assessoria jurídica do comandante Schnneyder, explica que agora o processo segue para a apreciação do juiz da 19ª zona eleitoral de Timon e que diante da manifestação do Ministério Público Eleitoral e da Polícia Militar do Estado do Maranhão, que confirmaram os argumentos apresentados pela defesa do candidato, acredita que a decisão do magistrado deverá ser pelo deferimento da candidatura.

"Os autos já se encontram conclusos para decisão do Juiz da 19º Zona Eleitoral de Timon. Acreditamos que em poucos dias a Decisão do Douto Magistrado vai ser pelo deferimento da candidatura do Comandante Schnneyder, uma vez que a manifestação da Polícia Militar do Estado do Maranhão ratificou todos os argumentos apresentados pela defesa, assim como o Ministério Público Eleitoral já se manifestou pela regularidade dos documentos apresentados pelo Comandante Schnneyder. Mais uma vez ressaltamos que a Impugnação apresentada pelo Vereador Anderson Pego é temerária e sem qualquer fundamento jurídico, razão pela qual estamos pleiteando a sua condenação por litigância de má-fé e por prática de crime eleitoral", explicou.

 


MPF firma acordo para o ressarcimento de cerca de R$ 1 milhão aos cofres públicos

Acordo é relativo à ação civil pública por ato de improbidade contra ex-prefeita do município de Pedro do Rosário (MA)


O Ministério Público Federal (MPF) celebrou acordo judicial com Maria do Rosário Serrão Martins, ex-prefeita do município de Pedro do Rosário, no Maranhão, para o ressarcimento de cerca de R$ 1 milhão aos cofres públicos. O acordo foi firmado em relação à sanção imposta, no bojo de ação por ato de improbidade que tramita na Justiça há mais de 14 anos, para o ressarcimento de dano decorrente de irregularidades na aplicação de recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental (Fundef) entre 1998 e 2000.

A primeira sentença, emitida pela 6ª Vara de São Luís em 2017, condenou Maria do Rosário Serrão ao ressarcimento dos danos ao erário, corrigidos monetariamente e incidência de juros moratórios de 1% por mês, além de multa, calculada como duas vezes o valor do dano. O acordo foi assinado em 22 de outubro de 2019, no entanto, impugnado pela União, que aduziu que o débito atualizado seria menor.

No dia 14 de setembro de 2020, o MPF afastou essas alegações e requereu urgência na homologação do termo judicial pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1). A ação civil pública por ato de improbidade contra Maria do Rosário foi protocolada em 2005. O acordo, quando homologado, implica na extinção do recurso pendente de análise pelo Tribunal. 

O procurador regional da República Zilmar Antonio Drumond afirma que o acordo “certamente se mostra vantajoso, especialmente ao se considerar que tão a devolução imediata de valor significativo aos cofres públicos, em prazo extremamente exíguo, sem as dificuldades de processo de execução”.

O presente acordo foi firmado antes da possibilidade de utilização de acordos de não persecução cível (ANPC), inovação permitida pela Lei nº 13.964/19, conhecida como “Lei Anticrime”, recentemente regulamentado pelo núcleo cível do Ministério Público Federal na 1a Região. A assinatura do termo foi um trabalho de integração entre as 1ª e 2ª instâncias do MPF e com autorização prévia da 5ª Câmara de Coordenação e Revisão.

Acordo - A partir da homologação judicial, a ex-prefeita está obrigada a pagar R$ 965.969,40 em até 60 dias. O valor, que abrange o ressarcimento ao erário e multa pelo dano, será destinado ao Tesouro Nacional e ao Fundo de Direitos Difusos. O descumprimento implicará na aplicação de multa no valor de R$ 1.000 por dia.

As sanções que impõem a suspensão dos direitos políticos, a proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios fiscais estão mantidas.

Fundef – O Fundef vigorou de 1996 a 2006 e é o antecessor do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb), o principal mecanismo de financiamento da educação básica do país.

Maria do Rosário Serrão foi acusada de utilização de percentual inferior ao legalmente estabelecido para o pagamento de professores, pagamento de despesas não previstas em lei com recursos do Fundef, contratação e aquisição de bens sem licitação e fraude em procedimentos licitatórios.


Processo nº 0007400-82.2005.4.01.3700


Fonte: Ascom/MPF/MA 

 

PI: Baixas no Progressistas de Ciro Nogueira são uma após a outra

O partido está tendo vários problemas políticos desde o início do ano

Sigla do partido, que está sofrendo baixas

O ano de 2020 não está bem para o Progressistas, do senador Ciro Nogueira, que desde agosto deste ano rompeu com o governador Wellington Dias e objetiva ser candidato da oposição contra o indicado pelo petista nas eleições estaduais de 2022.

As confusões no Progressistas são muitas. No último final de semana, o ex-prefeito Manin Rêgo, retirou sua candidatura à Prefeitura de Barras, deixando o partido sem nome para o principal cargo majoritário do município.

Segundo informações do site Longah, a decisão foi tomada no último sábado, 17, após reunião na casa da família de Emília Costa, que era candidata a vice de Manin Rego. José Luís Costa, irmão da vereadora Emília, informou que a família Costa ainda não decidiu se vai aderir a algum grupo político.

O que se comenta na cidade, segundo o Longah, é que essa decisão de não apresentar candidato a prefeito não foi assim tão tranquila. A relação entre Emília Costa e Manim Rego ficou estremecida. Quem estiver de um lado, o outro não estará.

No começo de outubro, outro fato prejudicou o Progressistas: o promotor eleitoral Vando da Silva Marques, da 5ª Zona Eleitoral de Oeiras, apresentou o pedido de impugnação do registro de candidatura de Edgar Castelo Branco (Progressistas), candidato a prefeito de Santa Rosa do Piauí, por ter tido as contas reprovadas em 2015, o que o impede de ser candidato baseado na Lei da Ficha Limpa. O nome do candidato, inclusive, consta na lista de inelegíveis encaminhadas pelo Tribunal de Contas do Estado à Justiça Eleitoral.

Edgar é da mesma cidade da ex-vereadora Patrícia (também do Partido de Ciro) que teve o mandato cassado pela Câmara Municipal por acusação de ter aplicado golpe em um morador da cidade utilizando-se do benefício do auxílio emergencial

Também no começo do mês, outra crise no partido: o candidato a prefeito do município de Agricolândia, Walter Alencar (Progressistas), e sua esposa Kelly Alencar (PTB), candidata a prefeita no município de Lagoinha do Piauí, foram presos em flagrante por crime eleitoral durante a Operação IBI CLAUSUS, deflagrada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco).

Durante a execução de um dos mandados de busca e apreensão, os promotores encontraram em um dos endereços do casal, no município de Agricolândia, vários materiais com uma lista contendo nomes de eleitores, com supostas vantagens indevidas, tipificando a prática de crime eleitoral. O promotor de Justiça Mário Normando, que acompanhou as buscas, ressaltou que o material descrito na lista seria oferecido aos eleitores em troca de votos.

Outro aliado de Ciro, o prefeito Thales Pimentel, do Progressistas de Paquetá, teve as contas reprovadas referentes ao ano de 2017, pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE). A decisão foi da Segunda Câmara, em sessão ocorrida no dia 20 de maio.

E assim caminha o Progressistas – partido do senador Ciro Nogueira.

Com informações do portal Pensar Piauí

Em debate da Pastoral da Juventude Schnneyder destaca propostas para Saúde e Educação em Timon

Em debate realizado pela Pastoral da Juventude – Zonal 6, no início da noite de sábado, 17, entre os candidatos a prefeito de Timon, o candidato Comandante Schnneyder (Republicanos) destacou suas principais propostas em diversas áreas, com destaque para a saúde e a educação, pontuando ainda que possui apoio político para executar as metas contempladas pelo seu plano de governo.

Schnneyder ressaltou que a saúde em Timon é tratada com descaso e que o timonense precisa, constantemente, buscar tratamento em Teresina, isso quando não é encaminhado para Caxias, sem nem mesmo ter o transporte garantido para ir até o município vizinho. “Vamos construir um hospital de referência. Iremos fazer, sim, com recursos do governo federal, acabando com a dependência de Teresina e de Caxias”


O candidato pontuou que o seu partido, Republicanos, tem o vice-governador do Estado, que será o próximo governador do Maranhão e além disso, conta com uma forte e ampla bancada no Congresso Nacional, incluindo o vice-presidente da Casa, deputado federal Marcos Pereira, que é o presidente nacional do Republicanos e que já declarou que Schnneyder terá apoio incondicional da bancada para trazer recursos para Timon.

Sobre a área da educação Schnneyder destacou que, nos últimos anos, o município de Timon recebeu, somente do FUNDEB na ordem de R$ 450 milhões e que esse montante é muito grande para que o município apresente apenas reforma de escolas e climatização. “Essa valorização que a professora falou aqui, realmente não existe. Se assim fosse o 14º salário dos professores seria pago. Isso sim é valorização. É compromisso nosso, pagar o 14º salário para os professores e valorizar realmente a categoria”. 

Ao final todos os candidatos assinaram uma carta compromisso, elaborada pela Pastoral da Juventude. Schnneyder encerrou sua participação agradecendo a mais uma oportunidade de falar à população timonense, de apresentar suas propostas para o município e destacou o carinho recebido nas ruas em suas caminhadas pela cidade.

“Quando a população de Timon coloca alguém de fora da política no contexto extremamente vantajoso em relação às intenções de voto, ela está dando um recado à velha política, ela está dizendo: 'olha, algo novo em Timon aconteceu. Nós estamos cansados, nós não queremos uma continuidade, nós queremos mudança'. E esse sentimento que há entre as famílias tem se fortalecido. E eu quero dizer para vocês que essa luta é de Davi contra Golias, vocês sabem disso. Não é fácil, mas não é impossível. Eu sou Schnneyder, meu número é 10 e eu estou aqui porque você me escolheu”.

 

sábado, 17 de outubro de 2020

TIMON: Francisca Biú intensifica campanha eleitoral e marca reunião para quarta-feira (21)

 


Na medida em que se aproxima o pleito eleitoral do dia 15 de novembro próximo, a candidata a vereadora Francisca Biú (PL), continua intensificando visitas aos seus apoiadores tanto na zona urbana quanto na zona rural de Timon, município localizado na região dos Cocais. Por exemplo, na semana passada, Biú visitou as seguintes localidades rurais: Monteiro, Pajeú, Castelo, Sucuruju e Lagoa Seca.


Na próxima quarta-feira (21), a partir das 19h, na sede do PSB, Travessa São José, 130, no centro de Timon, acontecerá uma grande reunião em prol da candidata a vereadora Francisca Biú. Ela reunirá sua base eleitoral para avaliação das primeiras semanas de campanha, assim como anunciará novas adesões de reforço ao projeto de conquistar uma vaga na Câmara Municipal de Timon. A militância está cuidando da organização do evento de natureza política no corpo a corpo, bem como pelas redes sociais: Franciscabiuoficial (Facebook) e @franciscabiuoficial (Instagram).

Francisca Bíú integra o grupo que apóia a candidatura da Professora Dinair Veloso (PSB) na disputa pela prefeitura de Timon, tendo sido indicada pelo atual prefeito Luciano Leitoa (PSB).   

 

Após reunião com o COE, governador determina ações para diminuir disseminação da Covid-19

Será montado um relatório para implantar ações específicas por região e reforçada atenção junto a partidos políticos

Governador do Piauí, Wellington Dias (PT) 


O governador Wellington Dias reuniu, nesta sexta-feira (16), em ambiente virtual, o Comitê de Operações Especiais (COE) Ampliado, para discutir novas medidas de controle ao coronavírus. O chefe do executivo estadual determinou à Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi) que volte a atenção para São Raimundo Nonato, onde a ocupação de vagas na UTI chegou a 100% nesta sexta-feira. Em Teresina, os números indicam estabilidade nos casos e mortes pela Covid-19. Dias solicitou ao COE um relatório detalhado indicando quais municípios registram maiores índices de infecção pelo coronavírus. A ideia é planejar medidas específicas e isoladas para as áreas mais críticas.

Como ações imediatas, o Comitê Ampliado definiu que os partidos políticos devem ser convocados para reunião com representantes da Justiça Eleitoral, Ministério Público e Vigilância Sanitária, para reapresentação do regramento a ser cumprido pelos candidatos e coligações nas atividades de campanha. Os juízes eleitorais serão orientados a exercer o poder de polícia para garantir as restrições higiênico-sanitárias. As instituições representadas no COE Ampliado, foram desafiadas a massificar informações de alerta à população, quanto ao risco que a covid-19 ainda representa e da necessidade de manter os cuidados como uso de máscara, distanciamento e isolamento social.

Dados apresentados na reunião mostram que a média de óbitos pela Covid-19 no Piauí, subiu 18% nas últimas duas semanas, gerando preocupação nas autoridades. Em números absolutos, a média de mortes passou de 9,8 para 10,3 por dia, no intervalo de uma semana. O entendimento é que a população relaxou nos cuidados e a fiscalização das medidas de segurança higiênico-sanitárias deve ser endurecida.

“Se a gente perde a capacidade de controle da transmissibilidade, ocupamos os leitos clínicos e de UTI, além do risco para as pessoas contraírem, temos o agravante de impedir o plano de dar andamento à fila de espera de pessoas que suspenderam cirurgias de outras doenças, causando um enorme prejuízo”, ressaltou o governador Wellington Dias.

Os dados mostram ainda que a média de casos confirmados da doença também cresceu. Foram 576 infectados por dia na última semana, contra 547 na semana anterior. Presentes ao encontro, membros do COE apontaram como possíveis causas do crescimento, as aglomerações de pessoas em eventos sociais e políticos, além do descumprimento das medidas higiênico-sanitárias. “Evitamos o cenário catastrófico de 33 mil óbitos estimados no início da pandemia, mas a doença não passou e estamos longe de uma situação de conforto. Não podemos ser apenas reativos e chegarmos ao ponto de lotar nossa rede de saúde. Precisamos de medidas restritivas especialmente nas reuniões políticas”, pontuou o diretor do Hospital Natan Portela e médico infectologista José Noronha, membro do COE.

Os excessos verificados após o início da campanha eleitoral foram destaque na discussão. Tanto a justiça eleitoral como o Ministério Público entendem que partidos e candidatos precisam respeitar o regramento sanitário que proíbe grandes aglomerações. “Vemos com preocupação esse crescente número, verificado depois que iniciou o processo de propaganda. Os políticos lideram mas não têm como conter a força do eleitorado. Estamos vendo passeatas, carreatas, onde o uso de mascara é desprezado. Candidatos também abraçam eleitores, coisa inadequada”, alertou o vice-presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), desembargador Erivan Lopes.

“Talvez medidas drásticas sejam necessárias. Buscar formas alternativas dos candidatos levarem sua ideias e propostas ao seu eleitorado, para não termos de tomar medidas de restrição a atividades econômicas, como já houve no primeiro semestre”, considerou o procurador regional eleitoral, Leonardo Carvalho.

“Creio que possamos construir as soluções para reverter este quadro e seguir com as atividades econômicas, sociais e educacionais”, declarou a procuradora-geral de justiça, Carmelina Moura.

 Fonte: CCom/Governo do Piauí

 

sexta-feira, 16 de outubro de 2020

Wellington Dias grava vídeo e reafirma apoio a candidatura de Belauto Bigode para prefeito de Alto Longá

 

Governador Wellington Dias e Belauto Bigode

O governador Wellington Dias (PT), gravou vídeo ao lado do candidato a prefeito de Alto Longá, Belauto Bigode (PT), no qual reafirmando o seu apoio a ele nesse projeto político de conquistar nas urnas a prefeitura daquele município no Norte do Piauí.  Wellingon Dias lembrou da amizade que tinha com o pai de Belauto, o saudoso Chagas Bigode, que faleceu em 2016. Ele disse que através de Chagas Bigode passou a conhecer Belauto desportista e disposto a ingressar na vida pública.

Na mesma gravação, Dias reconheceu a capacidade de articulação do jovem líder político Belauto Bigode. “É um jovem sempre cheio de energia e defendendo interesses maiores para o povo de Alto Longá. Ele faz um trabalho que ganhou o apoio de líderes dispostos na disputa por cargos proporcionais de vereador e vereadora visando garantir uma base sólida na Câmara Municipal. O Belauto tem conhecimento profundo da realidade de várias comunidades urbanas e rurais. Por isso, tem um projeto ousado para governar Alto Longá nos próximos quatro anos”, disse o governador Wellington Dias.

Belauto Bigode saiu do encontro com o governador Wellington Dias bastante otimista diante da conversa com a garantia de parceria mais forte a partir de 2021. “Tenho orgulho de ter herdado muitas coisas do meu pai, entre elas a amizade com o governador Wellington Dias. É muito bom saber que posso contar com a ajuda do governador nesta missão de transformar Alto Longá em uma cidade que oferece oportunidade para todos e todas”, escreveu o candidato a prefeito de Alto Longá Belauto Bigode em suas redes sociais ao agradecer o gesto do governador petista Wellington Dias.



quinta-feira, 15 de outubro de 2020

Barroso afasta Chico Rodrigues por 90 dias; Senado precisa validar decisão

 

Ministro Barroso Foto: Rosinei Coutinho/STF 

O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou o afastamento do senador do senador Chico Rodrigues (DEM-RR), alvo de operação da Polícia Federal nesta quarta-feira, 14. A decisão, assinada nesta quinta-feira, 15, ainda precisa passar por votação no Senado Federal, para que seja validada. O parlamentar, que era vice-líder do governo Bolsonaro no Senado até esta manhã, é investigado em inquérito que apura desvio de recursos destinados ao enfrentamento da pandemia de covid-19. A PF encontrou R$ 30 mil reais escondidos dentro da cueca do senador, no momento da operação policial.

"Diante do exposto, decreto o afastamento do Senador da República Francisco de Assis Rodrigues ("Chico Rodrigues") de suas funções parlamentares, pelo prazo de 90 dias, com possibilidade de renovação, se necessária, bem como a proibição de contato - pessoal, telefônico, telemático ou de qualquer outra natureza - com os demais investigados", decidiu Barroso.

O parlamentar, que era vice-líder do governo Bolsonaro no Senado até esta manhã, é investigado em inquérito que apura desvio de recursos destinados ao enfrentamento da pandemia de covid-19. Rodrigues foi alvo de operação da Polícia Federal na quarta-feira, quando mais de R$ 30 mil reais foram encontrados escondidos em seu corpo.

A Polícia Federal chegou a pedir a prisão preventiva de Chico Rodrigues. Na decisão, Barroso entendeu que deveria ser autorizado apenas o afastamento, devido à "gravidade concreta" do caso, como forma de impedir que o senador use o cargo "para dificultar as investigações ou para, ainda mais grave, persistir no cometimento de delitos". O ministro também determinou o fim do sigilo da investigação.

Chico Rodrigues desempenhava até esta quinta-feira a função de vice-líder do governo Jair Bolsonaro no Senado. A função é uma designação pessoal feita pelo presidente da República. A missão do vice-líder é representar o presidente no Senado. Nesta quinta-feira, ele entregou o cargo de vice-líder.

O afastamento precisa passar pela análise do Senado graças a uma decisão do plenário do Supremo Tribunal Feral, de 2017, que garantiu ao Legislativo o poder de revisar medidas aplicadas pelo Judiciário quando elas afetam o exercício da atividade parlamentar.

"A gravidade concreta dos delitos investigados também indica a necessidade de garantia da ordem pública: o Senador estaria se valendo de sua função parlamentar para desviar dinheiro destinado ao enfrentamento da maior pandemia dos últimos 100 anos, num momento de severa escassez de recursos públicos e em que o país já conta com mais de 150 mil mortos em decorrência da doença", afirmou o ministro na decisão.

Segundo o magistrado, "há indícios de participação do Senador, integrante da comissão parlamentar responsável pela execução orçamentária e financeira das medidas relacionadas à Covid-19, em organização criminosa voltada ao desvio de valores destinados à saúde do Estado de Roraima".

"No momento da realização de busca e apreensão em sua residência, o parlamentar escondeu maços de dinheiro em suas vestes íntimas", frisou Barroso.

Fonte: Estadão Conteúdo

 


Em Timon, Schnneyder recebe mais um importante apoio de ex-secretária municipal

O candidato a prefeito de Timon Comandante Schnneyder (Republicanos) continua somando apoios à sua caminhada rumo à prefeitura municipal. Dessa vez a ex-secretária municipal de Administração de Timon, no governo de Sebastião de Deus, e ex-diretora da Unidade Regional de Educação de Timon, Gizeuda Gomes, aderiu à campanha de Schnneyder por acreditar que Timon necessita de mudanças política e administrativa.   

A minha decisão de aderir à campanha do Comandante Schnneyder é por este sentimento de alternância de poder, que estava faltando aqui em Timon, e graças a Deus, eu fico muito feliz, de hoje nós termos essa terceira via, como chamamos, para a campanha de prefeito, com a candidatura do Comandante Schnneyder. Porque nós estamos vivemos uma oligarquia em Timon, é a perpetuação no poder de duas famílias, fazendo com que tenhamos apenas dois sobrenomes sempre no poder público municipal, mas isso vai acabar”. 

A ex-secretária declarou que antes de conhecer Schnneyder pessoalmente, já conhecia o seu trabalho desenvolvido à frente do 11º Batalhão de Polícia Militar em Timon. “Eu conheci Schnneyder pelo seu trabalho quando ele era o Comandante do Batalhão da Polícia Militar daqui. Acompanhei o trabalho dele, que sempre chamou a atenção de todos no município. E depois quando eu vim a conhecê-lo pessoalmente só veio a confirmação das ideias, das impressões que eu tinha sobre ele. Ele é uma pessoa que nos passa muita segurança em relação aos seus propósitos para a cidade”, explicou.  

Gizeuda Gomes ressaltou ainda que hoje em Timon há algo que une todos os timonenses, que é a esperança por mudança. “Esse sentimento de mudança está aceso em cada um de nós timonenses, é uma necessidade, de uma nova esperança, de uma alternância do poder. Eu acredito que o Comandante Schnneyder será um excelente representante do povo de Timon e um excelente gestor para a nossa cidade”, concluiu.  

 

 

Homem branco é o candidato padrão a prefeito nas 95 maiores cidades do país

Nem Partido da Mulher lança mais mulher do que homem

Reprodução: Imagem/Agência Brasil 

O crescimento da participação de mulheres e negros nas eleições deste ano não se reflete de forma expressiva em um ponto crucial, a corrida pelo comando das 95 maiores cidades do país, que concentram 40% da população brasileira e onde os partidos mantiveram a tendência de indicar homens brancos para a disputa.

De acordo com dados da Justiça Eleitoral compilados pela Folha, 8 em cada 10 candidatos a prefeito nessas cidades são homens, com destaque para Norte e Nordeste. Se levada em conta a cor declarada da pele, 70% são brancos, com maior prevalência no Sul.

A cota de candidaturas femininas, que é de pelo menos 30% vagas, é cumprida com a ocupação das vagas de vice, a candidatura em cidades menores ou nas chapas para vereador —postos de menor importância na disputa.

De acordo com o TSE, de todas as 553,5 mil candidaturas registradas até esta terça-feira (13), o que incluía concorrentes a prefeito, vice ou vereador, 33,4% eram de mulheres, um recorde

Mas, nas grandes cidades, a história é diferente. Levando-se em conta só as capitais, entre os 35 candidatos inscritos para disputar o comando de Belém, São Luís e Manaus, por exemplo, não há nenhuma mulher. Entre as legendas, nem mesmo o Partido da Mulher Brasileira lançou mais mulheres do que homens nas principais disputas. Dos seus 13 candidatos a prefeito nessas cidades, 9 são homens. A Folha não conseguiu falar com a direção do partido.

Entre os partidos médios e grandes, PTB, DEM, Novo, MDB, Avante, Solidariedade, Republicanos e PSL lançaram mais de 90% de homens para a disputa às prefeituras dos grandes centros urbanos.

Os únicos cujas mulheres representaram mais de 30% dos candidatos foram os nanicos PMB, UP, PSTU, além do PSOL (47%). Já em relação aos negros, os dados gerais também mostram que, pela primeira vez na história, candidatos autodeclarados pretos e pardos são maioria em relação aos que se declaram brancos —50% contra 48%.

Neste ano, a Justiça determinou que os partidos distribuam de forma igualitária recursos de campanha entre seus candidatos brancos e negros. Mas assim, como no caso das mulheres, quando se trata da definição dos principais postos na disputa eleitoral, ainda prevalece a opção pelos brancos.

Entre os candidatos a prefeito no "top-95" da cidades brasileiras, eles representam 70%. Ou seja, 7 de cada 10 concorrentes. Pardos são 20% e pretos, 9%. A lista de candidaturas mostra, por exemplo, que todos os 39 concorrentes a comandar as capitais da região Sul —Porto Alegre, Curitiba e Florianópolis—são brancos.

Entre os partidos, o Novo se destaca pela quase total falta de diversidade tanto de gênero quanto de cor. Das 23 candidaturas que lançou nas grandes cidades, 21 são homens brancos. Só há uma mulher, Juliana Benicio (Niterói, no Rio de Janeiro) e um autodeclarado pardo, Professor Agliberto (São José dos Campos, em São Paulo).

Em nota, o Novo disse que cresce em ritmo constante e trabalha para que sua mensagem chegue a um número cada vez maior de cidadãos. "O objetivo do partido é, e sempre será, contribuir para fortalecer a representatividade de ideias na política, independente de cor, credo, gênero e orientação sexual.”

Candidata a vereadora pelo Novo em São Paulo, a advogada Naira Sathiyo, 24, diz que o Novo, assim com outros partidos, ainda deixa a desejar na questão da representatividade, mas que tem como um dos pontos positivos o processo seletivo de candidatos em igualdade de condições, sem a necessidade de apadrinhamentos políticos.

"Eu vejo a questão da diversidade como um dos pontos mais importantes a ser debatido na sociedade, e em relação ao qual precisamos evoluir muito, não só na política", diz.

Os únicos partidos em que há pelo menos 40% de negros são PMN, Patriota, PC do B, PSOL, DC PCB, UP e PSTU. Para Irapuã Santana, que é doutor em Direito pela UERJ (Universidade Estadual do Rio de Janeiro) e . advogado voluntário da Educafro, o quadro nas principais cidades do país mostra como é importante a decisão da Justiça de forçar os partidos a dividir as verbas de campanha de forma igualitária entre brancos e negros.

"A falta de dinheiro reverbera na falta de candidatura", afirma Irapuã, segundo quem a perspectiva de não ter acesso aos recursos de campanha desestimula a participação dos negros na política.

Conforme a Folha mostrou em várias reportagens, os principais partidos políticos resistem em abrir espaço para candidatos negros, o que reduz a diversidade na política, especialmente nos principais postos de comando.

Em 2016, por exemplo, dos 26 prefeitos de capital eleitos, 22 eram brancos, 4 pardos e nenhum preto. Naquela eleição, menos de 30% das vagas e das verbas de campanha para a disputa às prefeituras foi direcionado a pretos e pardos.

De acordo com o IBGE, pretos e pardos representam 56% da população brasileira. Mulheres, 52%.

Fonte: Folha de S. Paulo

quarta-feira, 14 de outubro de 2020

Instituto com pesquisa barrada pela Justiça em Timon registra nova pesquisa eleitoral no município

Qualitativa Instituto de Opinião Pública acumula representações na justiça contra suas pesquisas

Imagem meramente ilustrativa/internet

O Instituto Qualitativa, que teve a divulgação de uma pesquisa barrada no município de Timon pela Justiça Eleitoral no dia 02 de outubro, registrou nova pesquisa no município uma semana depois, no dia 09 de outubro, com previsão para divulgação no município no dia 15 de outubro, próxima quinta-feira, seis dias após o registro no TSE.

O novo levantamento feito pelo Instituto Qualitativa entrevistou 400 pessoas, nas zonas urbana e rural de Timon, nos dias 10 e 11 de outubro de 2020. De acordo com o registro a margem de erro da pesquisa é de 4,9 pontos percentuais para mais ou para menos e nível de confiança de 95%. A contratante da pesquisa é o próprio Instituto Qualitativa. 

Somente nas últimas duas semanas a Justiça Eleitoral suspendeu a divulgação de duas pesquisas eleitorais em Timon, uma do Instituto Qualitativa e outra do Instituto Data M3. Em uma delas o levantamento foi feito somente da zona urbana do município de Timon, entrevistou apenas 360 eleitores e apresentou margem de erro diferente do que podia ser observada pelos cálculos dos números apresentados. Outra trazia o nome de um dos candidatos diferente daquele que está no registro de candidatura, além de não trazer o nome de um dos candidatos.

Nestas eleições o Instituto Qualitativa vem acumulando representações na justiça contra suas pesquisas, além de ter vários de seus levantamentos proibidos, pela Justiça Eleitoral, de serem publicados. Além da pesquisa de Timon, o Instituto Qualitativa teve pesquisas proibidas de serem divulgadas ou com pendências judiciais nos municípios de Lago Verde e Pedreiras, no Maranhão e em Buriti dos Lopes, no Piauí.

 

Schnneyder afirma que pagará 14º salário para professores e construirá um hospital de referência em Timon

Comandante Schnneyder na TV Antena 10, de Teresina 

O candidato a prefeito de Timon pelo partido Republicanos, Comandante Schnneyder, participou no início da noite de ontem, 13, do Programa Conversa Franca, com o jornalista Pedro Alcântara, pela TV Antena 10, onde apresentou propostas que constam do seu plano de governo para o município de Timon, com destaque para as áreas de educação, infraestrutura, saúde e segurança.

Educação

Em relação à educação o candidato afirmou que criará em Timon creches noturnas, onde as mães que trabalham ou estudam à noite possam deixar seus filhos em segurança. O objetivo será cuidar das crianças. Projetos como esse já foram implantados em estados como São Paulo e Tocantins, e já funcionam há mais de 20 anos em países como a Suécia. Schnneyder também afirmou que sua gestão priorizará a valorização dos profissionais da educação para, com isso, melhorar os níveis de proficiência dos alunos em leitura, interpretação de texto e matemática, ou seja, melhorar a qualidade do ensino. Além disso, garantiu o pagamento do décimo quarto salário aos professores.

“Nós vamos melhorar a qualidade de ensino em Timon valorizando de verdade os professores. Vamos garantir o 14º salário para os professores. Ao longo dos últimos anos só a secretaria de Educação teve cerca de 450 milhões de reais disponibilizados pelo Fundeb - Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação - , e só investiu em ar condicionado e reforma de escolas. Isso é muito pouco, pra muito dinheiro. A gente precisa, sim, melhorar a qualidade de ensino, principalmente com a valorização dos professores. É isso que nós vamos fazer na nossa gestão”, afirmou.

Infraestrutura

Sobre a área da infraestrutura Schnneyder destacou que seu governo irá traçar um planejamento para os quatro anos de governo, sem que aconteça o mesmo que na gestão atual, onde as obras no município só acontecem em ano eleitoral. Além disso, garantiu que construirá uma nova rodoviária no município.

Saúde

Schnneyder reafirmou que investirá em uma central de marcação de consultas moderna e eficiente, além de colocar todas as UBS para funcionar. “Vamos também construir um hospital de referência, que Timon não tem. Ou você fica na dependência de Teresina ou, na maioria das vezes, você é regulado para Caxias. Para Timon já não cabe mais isso. Somos a quarta maior cidade do Maranhão. Timon é gigante por conta do seu povo e não por causa de um grupo político”.

Segurança

O candidato explicou que existe a necessidade de melhorar a comunicação das pessoas com as forças de segurança. Que é necessária essa integração para que a segurança pública possa funcionar e, para isso, criará uma central para monitorar as principais avenidas da cidade e fazer com que essas informações possam chegar de imediato para as forças de segurança, como a guarda civil e a polícia militar. Além disso, Schnneyder afirmou ainda que deverá ampliar o efetivo da Guarda Civil Municipal de Timon e proporcionar capacitação e equipamentos para a corporação. 

Schnneyder é candidato a prefeito pela coligação Timon do Povo Guerreiro que reúne os partidos Republicanos, Podemos, PROS, PMN, PTC e Avante.

 

--

Soltura de líder do PCC reacende debate de prisão em segunda instância

 Além disso, a bancada da bala quer alterar o artigo 316 do Código Penal para impedir novas decisões como a que libertou André do Rap

Ministros do STF, Marco Aurélio e Fux Foto: Evaristo Sá 

decisão do ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF) que levou à soltura de um dos líderes do Primeiro Comando Capital (PCC) reavivou os debates a respeito da retomada da comissão especial da proposta de emenda à Constituição (PEC) 199/2019, que regulamenta a prisão após julgamento em segunda instância. André do Rap fugiu em um jatinho fretado poucas horas após ser solto. A suspeita é de que ele esteja no Paraguai.

O líder do Podemos na Câmara, deputado Leo Moraes (Rondônia), protocolou um pedido de retomada dos trabalhos da comissão especial. O líder partidário destacou que não é a primeira vez que a legenda pede a retomada dos trabalhos. Ele teme que os debates fiquem para 2021 e sigam sendo adiados por motivos variados até que o PEC saia da pauta de vez. “Não é a primeira vez que entramos com requerimento com solicitação dessa pauta. Tanto a prisão em segunda instância quanto na pauta do fim do foro privilegiado”, lembrou.

De acordo com o parlamentar, a soltura de André do Rap provocou um clamor na população e que tem potencial para sensibilizar o Congresso.“Pedimos o funcionamento da comissão. Reabrir os trabalhos de imediato. Se não, vai para o outro ano legislativo. Depois, eleição. São pautas de reaproximação dos representantes com a população, que anseia por isso”, destacou.

Na sequência, os parlamentares pedem que o Congresso regule a prisão após condenação em segunda instância.“A questão não pode ficar ao alvedrio do Poder Judiciário, cuja jurisprudência tem mudado constantemente de orientação, beneficiando criminosos notórios, como exemplifica a recente decisão do ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal, que concedeu habeas corpus ao traficante internacional André do Rap”, afirma o texto.

Pacote anticrime

Mas não foi somente o debate sobre a prisão após condenação em segunda instância que se acalorou. A Frente Parlamentar da Segurança Pública também pede a revogação de um trecho sancionado do Pacote AntiCrime que obriga a Justiça a revisar a prisão preventiva a cada 90 dias. O líder do grupo, deputado Capitão Augusto (PL-SP) protocolou um projeto de lei para revogar o artigo 316 do Código Processual Penal. Ele acredita que a prisão em segunda instância não abarcaria todas as situações em que há risco de soltura de criminosos reconhecidamente perigosos.

Capitão Augusto argumentou que o trecho do projeto do Pacote Anticrime foi inserido sem anuência da bancada e do então ministro Sergio Moro, principal autor do texto. “Esse artigo 316 foi incluído no pacote à revelia minha e contra a vontade do ministro Sergio Moro. Fui contrário. O grupo votou para incluir no pacote e votou o mérito sem ouvir ninguém em audiência pública. Nós tínhamos o receio de deixar algo automático. E nem excluía casos de crimes hediondos, pedofilia, tráfico e entorpecentes. Atingia o ladrão de bolacha e os líderes de facção”, argumentou.

Caixinhas separadas

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou que o debate sobre a PEC 199 está adiantado e que teve a prioridade da Câmara e de parlamentares. Afirmou, ainda, que o texto pode ser votado esse ano. Portanto, não haveria necessidade de acelerar ainda mais a tramitação. O desafio será retomar algumas comissões especiais, incluindo esta, nos debates de plenário da próxima semana. Isso precisa ser feito por votação, já que a suspensão faz parte das determinações de distanciamento social que alteraram os trabalhos da Casa para fortalecer o combate ao coronavírus.

"A gente tem que retomar algumas comissões especiais. Acho que é retomar os trabalhos, completar o prazo mínimo que já deve estar próximo, de 11 sessões, para, a partir daí, votar na comissão e, depois, no plenário. Essa prioridade. A gente já tinha dado no início do ano. É um tema polêmico. Eu não quero tratar da questão objetiva da decisão do ministro Marco Aurélio, pois é uma questão do Judiciário. Mas, sem dúvida, não podemos misturar a decisão do ministro, se o MP pediu ou não pediu a prorrogação, como diz a lei, mas não acho que dá pra transferir um caso tão polêmico como esse para a lei, e misturar com a PEC da segunda instância, que já estava dada. Já era uma decisão do parlamento”, disse.

Maia lembrou, ainda, que se comprometeu com a PEC 199 e que o texto do relator, deputado Fábio Trad (PSD-MS) é “muito bom” por tratar de outras esferas judiciais, e não somente a criminal. Já sobre a revogação do artigo do Código Processual Penal alterado pelo Pacote Anti Crime, o presidente da Câmara disse não haver espaço. Ele destacou que existem pessoas presas preventivamente por até nove meses e sem uma denúncia.

“Não é esse caso do traficante. Mas não acho que a lei seja um problema. É (problema) do Judiciário. Tirando esse caso, que é um que gera muita comoção na sociedade, temos várias pessoas que ficam anos presas sem nenhum tipo de análise. Principalmente as mais pobres, que não têm advogado. E nas discussões da Câmara com o governo, o assunto não entrou. Pode ter entrado na hora de debater vetos. Mas, na Câmara, não foi um problema colocado por ninguém. Não dá pra transferir para a lei um problema que é do Judiciário e do MP. O problema é a decisão, que não quero entrar nela, pois cabe ao Judiciário avaliar”, argumentou.

Com informações Correio Braziliense 

terça-feira, 13 de outubro de 2020

Pesquisa Exata aponta liderança consolidada de Schnneyder para a prefeitura de Timon


candidato a prefeito de Timon Comandante Schnneyder (Republicanos) segue na liderança da intenção de votos no município. Isso, é o que aponta nova pesquisa, realizada pela Exata Pesquisa de Opinião Pública. No cenário estimulado, considerando-se apenas os votos válidos, Schnneyder aparece em primeiro lugar com 34% da preferência do eleitorado.


Em segundo lugar está a candidata professora Socorro (MDB), 28%, seguida por Dinair Veloso (PSB), 27%, Jaconias Morais (PSC), 10%, professora Fafá (PSOL), 1%, e Erivaldo Lima (PSOL), que não pontuou. A decisão sobre o candidato do PSOL está sob disputa judicial, por isso constam dois nomes de candidatos do partido na pesquisa.

No cenário estimulado a pesquisa aponta a liderança de Schnneyder com 27%, seguido por professora Socorro, 23%, Dinair Veloso, 22% e Jaconias Morais com 8%. Os candidatos professora Fafá e Erivaldo Lima não pontuaram. Os eleitores que declararam votar em branco, nulo ou não votar em nenhum dos candidatos somam 9% e os que não souberam ou não responderam 11%. 


PROFESSORA SOCORRO WAQUIM E DINAIR VELOSO ESTÃO EMPATADAS COM AS MAIORES REJEIÇÕES

Quando o eleitor foi perguntado em qual desses candidatos o senhor(a) não votaria de jeito nenhum, o resultado foi: professora Socorro e Dinair Veloso ambas empatadas com 23% de rejeição cada uma, seguidas por Jaconias Morais, 11%, Comandante Schnneyder, 9%, Erivaldo Lima, 5%, professora Fafá, 5%. Dos eleitores entrevistados 14% declararam que poderiam votar em qualquer candidato e 10% afirmaram que não votariam em nenhum.

A Exata Pesquisa de Opinião Pública ouviu 1002 eleitores de Timon, das zonas urbana e rural do município, entre dos dias 28 de setembro e 01º de outubro de 2020. O levantamento possui margem de erro de 2,82 pontos percentuais, para mais ou para menos, e o intervalo de confiança é de 95%. A pesquisa foi registrada no TSE com o número MA 05502/2020.

 


segunda-feira, 12 de outubro de 2020

Schnneyder movimenta Timon com o Sábado 10 e é recebido com carinho por toda a população



Uma festa da democracia com o sentimento da mudança, é como pode ser definida a série de eventos da coligação "Timon do Povo Guerreiro" que movimentou Timon no último sábado, dia 10. O candidato a prefeito de Timon comandante Schnneyder e seu vice, Henrique Júnior, percorreram toda a cidade de Timon participando de diversos eventos junto à população.


Logo cedo, no bairro Parque Alvorada, foi realizada a reunião Mulheres no Comando, onde foram discutidas políticas públicas voltadas especificamente para elas. A professora Socorro Batista, da Universidade Estadual do Maranhão, destacou que Timon vive hoje uma oportunidade única de mudar sua história política, com alguém que dá atenção à população e que está presente para entender os problemas da cidade.


Em seguida, ainda pela manhã, Schnneyder seguiu para o bairro São Marcos, onde percorreu toda a avenida Tiúba e região, acompanhado pelo seu candidato a vice-prefeito, Henrique Júnior e diversos candidatos a vereador, numa grande caminhada. "Nossa candidatura nasceu dessa forma como estamos aqui hoje nesta caminhada, indo ao encontro das pessoas, olhando no olho, entendendo esse sentimento de mudança", destacou Schnneyder.

Já no período da tarde Schnneyder e Henrique Júnior foram acompanhados por uma multidão que percorreu de carro, de moto, de bicicleta ou a pé vários bairros de Timon, levando uma mensagem de esperança, mostrando que a cidade é gigante, assim como o seu povo. Durante a noite Schnneyder ainda participou do lançamento da candidatura a vereador de Dedé do Povo, no bairro Parque Piauí.


"Durante todo o dia, em todos os eventos que participamos percebemos algo em comum: a população, mesmo com a angústia que vem sentindo nos últimos anos por Timon estar estagnada, mostrou que tem esperança, que acredita, que chegou a hora de mudar. Percebemos isso nas centenas de manifestações de carinho espontâneas que recebemos hoje, na reunião das mulheres, na caminhada e na motocada. A população sabe que esse projeto é dela, é nosso, e que ela terá de volta o comando de Timon".

 

--