segunda-feira, 30 de novembro de 2020

Dr. Pessoa (MDB) derruba hegemonia do PSDB e é eleito prefeito de Teresina

Vinícius Boreki

Colaboração para o UOL


Dr. Pessoa eleito prefeito de Teresina 

 

Em um segundo turno marcado por um clima agressivo, trocas de acusações constantes e poucos debates, Dr. Pessoa (MDB) foi eleito prefeito de Teresina neste domingo (29). Pessoa derrotou o candidato da situação Kleber Montezuma (PSDB), que contava com o apoio do atual prefeito da capital do Piauí, o tucano Firmino Filho, que comanda a cidade desde 2012.

Dr. Pessoa obteve 62,31% dos votos válidos e Montezuma, 37,69%. Votos nulos somaram 6,85% e os brancos, 2,88%.


No primeiro turno, Pessoa assumiu o protagonismo na disputa da cidade de 870 mil habitantes, sendo o mais votado, com 34,53% dos votos válidos.

 

Deputado estadual entre 2015 e 2018, Pessoa, 74, foi candidato nas últimas eleições para o governo do Piauí e obteve 20% dos votos válidos no pleito que terminou com a vitória de Wellington Dias (PT) no primeiro turno.

 

Montezuma, 63, representava a continuidade do grupo político que comanda Teresina há três décadas. O candidato tucano foi secretário de Educação de Teresina durante a gestão atual de Firmino Filho.

 

Partidos se uniram para desbancar tucano Pessoa garantiu apoios importantes neste segundo turno, especialmente de Gessy Fonseca (PSC), que obteve 12,14% dos votos válidos em 15 de novembro, e Fabio Novo (PT), com 11,5%. O PT, que comanda o governo do Piauí, declarou apoio formal a Pessoa e afirmou, via nota, que "se alinha ao sentimento de mudança", citando que 71,11% dos teresinenses votaram contra o modelo administrativo da cidade no primeiro turno.

 

 O vice de Dr. Pessoa é Robert Rios (PSB), que tem experiência prévia em duas legislaturas como deputado estadual. 

O novo prefeito terá trabalho para conquistar maioria na Câmara Municipal, visto que sua chapa só elegeu 3 das 29 cadeiras de Teresina. A chapa de Montezuma conquistou 13 vagas, quase 50% da Casa.

Fuga de debates e poucas propostas

À frente na votação e com apoios políticos importantes, o emedebista deixou de comparecer a debates televisivos, alegando falta de segurança. "Em uma carreata alguém disparou um tiro. Sei lá, se eu for a um debate desses se alguém não pode fazer uma emboscada para me agredir", disse, em debate realizado no Sindicato dos Servidores Municipais. A campanha chegou a registrar Boletim de Ocorrência do fato.

 Uma das críticas de Montezuma era que, devido aos apoios, Dr. Pessoa seria "governado" por terceiros, citando o governador Wellington Dias e o ex-senador João Henrique (MDB). "Um candidato que é governado por outros não tem condições de governar Teresina. Nós queremos debater os grandes problemas da cidade", criticou.

Em suas redes sociais, Dr. Pessoa rebateu com ironia. "Uma das minhas propostas no eixo meio ambiente será um projeto de reeducação alimentar da ave fauna tucanos. Há uma preocupação muito grande com a espécie, que há 35 anos se alimenta em cativeiro bicando gordos contracheques na Prefeitura de Teresina", citando o apelido vinculado ao PSDB.

Nenhum comentário:

Postar um comentário