segunda-feira, 11 de julho de 2022

Jornalista Glenda Uchôa ganha prêmio de reportagem sobre a Caminhada da Fraternidade

Jornalista Glenda Uchôa, da Rádio Cidade Verde FM, de Teresina

A Rádio Cidade Verde conquistou o prêmio da 18ª Edição do Concurso de Reportagem “Dom Avelar Brandão Vilela”, da Caminhada da Fraternidade de 2022, após reportagem realizada pela jornalista Glenda Uchôa, que teve a sonoplastia de Mauro Costa. 

O concurso premia a melhor cobertura jornalística sobre a Caminhada da Fraternidade e os serviços mantidos pela Ação Social Arquidiocesana (ASA). Neste ano, a caminhada foi realizada no dia 11 de junho e voltou a ser presencial, após dois anos ocorrendo de forma virtual, devido a pandemia de coronavírus. 

A jornalista Glenda Uchôa ganhou na categoria Rádio, com a reportagem intitulada “Caminhada da Fraternidade 2022 – A alegria do reencontro”, que conta sobre esse retorno do evento. Ela acredita que através do som, a reportagem conseguiu transmitir a alegria da população em poder participar novamente da caminhada. 

“A reportagem foi sobre a caminhada e a retomada, que após dois anos, sem o evento presencial chegou as ruas de Teresina. Eu acho que foi o nosso grande trunfo foi extrair a alegria das pessoas de estarem juntas em prol de um objetivo comum, que é a solidariedade. As pessoas que entrevistei falaram com alegria. O tom do evento e atmosfera era de alegria e de esperança após esses anos difíceis que passamos. Então foi um processo, nesse objetivo de transmitir através do som, da rádio, de levar um pouco dessa atmosfera dessa retomada da caminhada”, explicou. 

Ela afirmou que ficou feliz em poder ganhar o prêmio, mas principalmente de poder passar a mensagem do evento. 

“Poder usar o jornalismo para destacar uma pauta tão bonita quanto essa, que é a da solidariedade, da busca por melhoria de vida em comunidade, é algo que me deixa sempre muito feliz. Porque nossa função enquanto profissional da comunicação também é essa: falar de esperança, do que faz o mundo continuar valendo a pena. Ser reconhecida por esse motivo só me alegra. E, claro, me faz reforçar o que eu não quero perder de vista nunca, que é acreditar que o que move o mundo de verdade é o bem”, afirmou. (Por Bárbara Rodrigues/cidadeverde.com) 

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário