quarta-feira, 26 de abril de 2023

Sem consenso, base de Brandão racha e terá três pré-candidaturas a prefeito de Timon

Schnneyder manda recado curto e grosso: "Não existem chances de me aliar ao deputado Rafael"

Coronel Schnneyder e Rafael Leitoa: diálogo dificil

Do ponto de vista político, o deputado estadual Rafael Leitoa (PSB), quando se trata de sua pré-candidatura a prefeito de Timon, em 2024, apesar de 'ostentar' ter o apoio do governador Carlos Brandão (PSB) vem demonstrando ser um péssimo agregador no tocante a união das oposições em torno de uma única chapa que possa representar a base governista estadual. Se depender do Coronel Schnneyder (MDB), Rafael Leitoa poderá tirar "o cavalinho da chuva" na busca pelo apoio do militar e de sua desistência.

Pelo tom da declaração de Schnneyder ao ser questionado casualmente pelo radialista Jorge Simplício, o famoso Galo, sobre a eventualidade de aderir à pré-candidatura a prefeito de Leitoa, o militar foi enfático o suficiente para descartar tal possibilidade: "Não existem chances de me aliar ao deputado Rafael". Sendo assim, o Coronel Schnneyder deu sinais fortes de que não recuará do seu projeto de disputar novamente a prefeitura de Timon, mesmo sem o apoio do governador Brandão. Partidários de Schnneyder dizem que ele está confiante nas pesquisas de intenção de voto. Afinal de contas, por pouco, deixou de ser prefeito por menos de 400 votos.  

A resposta do Coronel Schnneyder serviu como recado direto ao atrevimento do vereador Uilma Resende (PDT) ao afirmar durante entrevista ao Programa do Galo, que Rafael Leitoa aceitaria e iria buscar o apoio do Coronel Schnneyder. Em resumo, quer forçar a desistência dele.

Ainda é recente a mágoa do Coronel Schnneyder em relação ao deputado Rafael Leitoa diante dos ataques gratuitos no pleito de 2022, quando lhe  ofendeu chamando-o de miliciano.

Diante disso, não há consenso na base aliada de Brandão, em Timon. E, desta forma, poderão ser três pré-candidatos a prefeito pela oposição ao governo municipal, sendo eles, Rafael Leitoa (PSB), Coronel Schnneyder (MDB) e Henrique Júnior (PL). Por enquanto, a prefeita Dinair Veloso (PDT) segue sem resistência em seu grupo político na disputa pela reeleição. Com isso, o cenário indica quatro pré-candidaturas na disputa pela prefeitura de Timon, em 2024.

As outras pré-candidaturas ninguém fala mais. O deputado estadual Leandro Bello (Podemos) parece afinado com o colega Rafael Leitoa (PSB). O engenheiro civil Delfino Guimarães (sem partido) parace que 'meteu a viola no saco' e desconversa sobre essa hipótese. Já a ex-prefeita e ex-deputada estadual Socorro Waquim (PP) adotou o silêncio. Tanto Delfino quanto Socorro não escondem o alinhamento com o deputado Rafael Leitoa. O vereador Jaconias Moraes (PSC) continua calado.

Aliados de Rafael Leitoa espalham por onde andam que a decisão de Brandão virá de cima para baixo, ou melhor, irá impor o nome do mesmo. Ocorre que, caso isso de fato se concretize, é bom lembrar que em 2008, Luciano Leitoa na época pelo PSB com o apoio do saudoso governador Jackson Lago (PDT) perdeu a eleição para Socorro Waquim (MDB), sendo reeleita prefeita. Em 2012, o então deputado estadual Alexandre Almeida (PSD) alardeou aos quatro cantos  que era apoiado pela governadora Roseana Sarney (PMDB) e passou vergonha na derrota para o deputado estadual Luciano Leitoa. Desse jeito, governador não faz milagre algum.


Nenhum comentário:

Postar um comentário