segunda-feira, 4 de outubro de 2021

Piauí e Ceará compartilham experiências na área da Segurança Pública

Representantes dos dois Estados apresentaram o que estão desenvolvendo para reduzir a criminalidade 

Foto: Reprodução (CCom) 

Representantes das forças de segurança do Piauí e Ceará se reuniram, hoje, no Palácio de Karnak, para compartilhar experiências na área de segurança pública. O Piauí apresentou o sistema de gestão de risco que inclui o aplicativo Salve Maria e o formulário Esperança Garcia desenvolvido pela Secretaria de Segurança e o Ceará o trabalho baseado em evidências e métodos científicos que vem reduzindo os índices de criminalidade. 

A reunião foi coordenada pela vice-governadora Regina Sousa que avaliou como um projeto interessante por envolver tecnologia e centralização de dados. “Apresentei projeto no Senado que foi aprovado, a lei está em vigor, mas não houve muita iniciativa, o Ceará está fazendo exatamente o que diz a lei. A gente não pode procurar um dado sobre a violência contra a mulher e ter um dado na Secretaria de Saúde e outro dado diferente na Secretaria de Segurança, têm que ter bater esses dados”. 

Regina Sousa contou que o Estado do Ceará está cumprindo essa lei e criou a Superintendência de Pesquisa e Estratégias de Segurança Pública para centralizar dados e com pessoas especializadas em tecnologia, estatística, matemática e geografia para subsidiar as outras secretarias. “Um sistema nacional de dados é muito importante.” 

O superintendente de Pesquisa e Estratégias de Segurança Pública do Ceará, José Helano Matos Nogueira, explicou que a segurança baseada em evidências utiliza métodos e técnicas científicas para traçar políticas, diretrizes e estratégias de prevenção à violência e combate à criminalidade. 

“É uma série de fatores e medidas, desde coleta para nosso banco de dados criminais, seja da Polícia Militar ou da Polícia Civil, perícia, até a criação de tecnologia. Isso tudo a gente operacionaliza em ações concretas que têm dado resultado, nossos indicadores criminais do último semestre trazem dados com a diminuição da criminalidade no estado do Ceará.” 

José Helano informou que no primeiro semestre deste ano houve uma redução de 28,8% no número de crimes violentos letais, de 17,1% de crimes contra o patrimônio público, de 20,2% no roubo de veículos e aumento de 80% na apreensão de drogas. Em Fortaleza, a redução foi de 56% no número de crimes violentos. 

“Excelente. Nós estamos hoje aqui para estabelecer esse alinhamento, essa parceria de boas práticas. O Ceará tem avançado em segurança pública com a redução dos indicadores de violência, principalmente das mortes violentas intencionais”, avaliou o secretário de Segurança Pública do Piauí, Rubens Pereira. 

Ele acrescentou que sistema apresentado pelo estado do Ceará possibilita à gestão da segurança pública tomar decisões com base em evidências apuradas de forma científica, com pessoas ligadas a universidades. “Nós vivemos num pronto-socorro atendendo as ocorrências que vão chegando e precisamos de um caminho para que possamos atuar principalmente com políticas de prevenção”. 

A superintendente de Gestão de Risco da Secretaria de Segurança do Piauí, Eugênia Vila, apresentou o Sistema de Gestão de Risco para a equipe do Ceará. “O sistema consiste na dimensão de informar o gestor sobre fatores de risco para tomada de decisões”. Atualmente, a avaliação de risco é feita com pessoas que estão no sistema prisional, mostrando como eles podem sair dessa condição, de cumprir a sentença condenatória e devolver a eles o status da liberdade. E também na avaliação de risco organizacional que mede os riscos dos cuidadores, dos policiais penais, das instituições das penitenciárias para cuidar de quem cuida. (CCom)

Nenhum comentário:

Postar um comentário