domingo, 5 de junho de 2022

Anitta comenta 'CPI do sertanejo' e diz que recebeu propostas de desvio de verba

O assunto voltou a ficar entre os mais comentados das redes sociais em função de uma crítica do sertanejo Zé Neto 

Foto: Marcelo Sá Barreto/AgNews

A cantora Anitta comentou a "CPI do sertanejo" e afirmou que já recebeu propostas de desvio de verba

"Eu já recebi propostas, eu e meu irmão. 'Você cobra tanto, aí eu vou e pego um pedaço.' Eu falei não", disse ela em entrevista ao Fantástico. A conversa vai ao ar neste domingo (5) e teve trecho exibido no horário do Jornal Nacional deste sábado (4). 

A cantora foi o grande estopim dessa série de investigações de shows de sertanejos pagos com verba de prefeituras em todo o país -há casos em investigação em Roraima, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Mato Grosso. Depois de mais de um ano da viralização do vídeo em que a cantora Anitta aparece tatuando seu ânus, o assunto voltou a ficar entre os mais comentados das redes sociais em função de uma crítica do sertanejo Zé Neto. 

"Estamos aqui em Sorriso, Mato Grosso, um dos estados que sustentou o Brasil durante a pandemia. Nós somos artistas que não dependem de Lei Rouanet. Nós não precisamos fazer tatuagem no 'toba' para mostrar se a gente está bem ou não. A gente simplesmente vem aqui e canta", disse o sertanejo Zé Neto, em referência à tatuagem íntima da cantora, num show. 

Foi daí que surgiu uma onda de críticas ao músico, que, no evento em que debochou de Anitta e da Lei Rouanet, recebeu um cachê de R$ 400 mil da prefeitura de Sorriso, apesar do ataque que fez ao incentivo público cultural. 

Desde então, o episódio tem levado a importantes revelações sobre o uso de verba pública em megaeventos de sertanejos. Na semana passada, por exemplo, foi revelado que a Prefeitura de Conceição do Mato Dentro, uma cidadezinha mineira, pagaria ao cantor Gusttavo Lima um cachê de mais de R$ 1 milhão, com uma verba que deve ser destinada somente a saúde, educação, ambiente e infraestrutura. 

Hoje, 29 cidades pelo país têm shows investigados pelo Ministério Público –a maioria deles são de eventos de Gusttavo Lima, mas Xand Avião e Wesley Safadão também aparecem entre os cachês suspeitos.  (Folhapress) 


 

Um comentário:

  1. Acredito no ministério público e na justiça divina espero em Deus a verdade e que ela se prevaleça na forma certa e justa

    ResponderExcluir